Graduação a distância

04/01/2019

Cursos de graduação presenciais poderão ofertar até 40% das aulas a distância. O limite anterior era de 20%. A medida está prevista em portaria publicada na segunda-feira (31) no Diário Oficial da Uniãopelo Ministério da Educação (MEC). A medida não vale para cursos da área da saúde e de engenharia.

A portaria estabelece que os estudantes devem ser informados pelas instituições de ensino superior que parte do curso presencial será ministrada a distância. As instituições devem detalhar, de maneira objetiva, as disciplinas, conteúdos, metodologias e formas de avaliação dessas aulas.

Além disso, mesmo que sejam ministradas em formato de educação a distância (EaD), as avaliações e as atividades práticas exigidas devem ser realizadas presencialmente na sede ou em algum dos campi da instituição de ensino.

De acordo com a portaria, para ofertar até 40% da carga horária do curso a distância, a instituição de ensino superior deve cumprir alguns requisitos como estar credenciada junto ao MEC nas modalidades presencial e a distância e ter um conceito institucional (CI) igual ou superior a 4. O curso que terá parte das aulas a distância deve ter Conceito de Curso (CC) igual ou superior a 4. Ambos conceitos são calculados a partir de avaliações do MEC e seguem uma escala que vai de 1 a 5.

A instituição deve ainda ter um curso de graduação na modalidade a distância, com CC igual ou superior a 4. Esse curso deve ser equivalente, ou seja, ter a mesma denominação e grau, a um dos cursos presenciais ofertados pela instituição.

Para as instituições que não cumprem esses requisitos, o limite da oferta de EaD em cursos presenciais segue sendo de até 20% da carga horária total do curso.

Repercussão

A medida foi elogiada pelas mantenedoras de ensino privado. As particulares detêm a maior parte das matrículas no ensino superior no Brasil, 75,3%, de acordo com o último Censo da Educação Superior. Detêm também 90,6% das matrículas em EaD.

Segundo o diretor da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), Sólon Caldas, a medida “vem ao encontro do movimento que o mundo todo está fazendo no que diz respeito ao acesso à educação por meio da tecnologia. O benefício para os estudantes é maior ainda ao flexibilizar e permitir que tenham acesso ao conteúdo da forma e em horário que melhor lhes convier”.

O diretor disse ainda que, com relação à qualidade, as instituições que oferecerem essa possibilidade aos seus alunos “vão estar amparadas em um alto padrão de qualidade, haja vista os requisitos de oferta, quais sejam: CI e CC com no mínimo 4”.

Para o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) a preocupação é com a qualidade do ensino, uma vez que cursos a distância têm pior desempenho que os presenciais nas avaliações do MEC. O sindicato reclamou que a comunidade acadêmica não foi consultada antes da medida ser tomada.

“Uma coisa é país que universalizou a educação com qualidade introduzir aulas a distância como tecnologia para uma parte, uma parcela ou um segmento. Outra coisa é um país, como o Brasil, que sequer universalizou um ensino básico e o superior não atinge nem 40% da população. O ensino superior no Brasil é algo que já é restrito, não é para todos e vai ser de mais baixa qualidade”, disse a secretária-geral do Andes-SN, Eblin Farage.Segundo o ex-secretário executivo do Ministério da Educação Henrique Sartori, exonerado no último dia 28, a portaria coloca condições importantes para que a oferta de EaD chegue a 40%, como os requisitos de desempenho nas avaliações do MEC. “[A medida] foi aprovada com consulta ao CNE [Conselho Nacional de Educação]. A portaria nasce de uma provocação da Seres [Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior] ao CNE e o CNE retifica essa possibilidade”, disse.

Colaboração Agência Brasil

36ª Oficina de Música

04/01/2019

Curitiba recebe, entre 16 a 27 de janeiro, a 36ª Oficina de Música. São mais de 2 mil vagas em 103 cursos, além de cerca de 250 shows para o público.

Entre as categorias ofertadas estão música Erudita, com 34 cursos; Antiga, com 11 cursos; 48 cursos para Música Popular Brasileira e 10 do projeto MusicaR, para alunos de diversos níveis de conhecimento, de iniciantes a profissionais. Serão 93 professores de várias partes do Brasil e de outros países.

A programação completa será divulgada no site do evento. Para os participantes de fora de Curitiba, também está disponível uma relação com hotéis e restaurantes, para auxiliar na acomodação e estadia durante a oficina.

Colaboração Prefeitura de Curitiba

Matriculas abertas para EJA

04/01/2019

Estão abertas as matrículas para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Secretaria da Educação do Paraná. Interessados devem procurar um Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja) ou escola estadual que oferte a modalidade, até 18 de janeiro. As aulas começam a partir de 14 de fevereiro.

A EJA é ofertada na rede estadual a toda pessoa que deseja voltar à sala de aula para obter sua certificação do Ensino Fundamental ou do Ensino Médio, com metodologia e materiais didáticos específicos para melhor atender a esse público.

Para matricular-se é necessário apenas original e fotocópia de documento de identificação. É preciso ter no mínimo 15 anos completos para ingressar no Ensino Fundamental e 18 anos completos para o Ensino Médio. O aluno constrói sua grade curricular da maneira que for mais adequada, podendo se matricular em até quatro disciplinas.

No Ensino Fundamental as disciplinas são: Arte, Educação Física, Ciências Naturais, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna – Inglês, Língua Portuguesa e Matemática. No Ensino Médio: Arte, Biologia, Educação Física, Física, Filosofia, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna – Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia.

O Ensino Fundamental pode ser concluído em, no mínimo, dois anos e o Ensino Médio em, no mínimo, um ano e meio. A matrícula e as aulas são totalmente gratuitas e o estudante também tem direito à alimentação escolar fornecida pelo Governo do Paraná.

APROVEITAMENTO – Para concluir os estudos na Educação Básica, o estudante da EJA pode aproveitar os resultados do ensino regular que tenha cursado previamente, mediante apresentação de histórico escolar. Ele também pode aproveitar resultados dos Exames da EJA Online da Secretaria da Educação do Paraná, do Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) ou do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) anteriores a 2017.

Confira AQUI a lista de Ceebja e escolas que ofertam EJA.

Fonte: AEN

Aplicativos


 Locutor no Ar

Virtual DJ

Piloto Automático

Peça Sua Música

Name:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

01.

Anderson Freire

Raridade

02.

Juliano Son

Lindo És - Só quero ver Você

03.

Aline Barros

Casa do pai

04.

Anderson Freire

Acalma o meu coração

05.

Aline Barros

Ressuscita-me

Anunciantes